A Slow Food Turtle Island Association cresce: primeiro aniversário de uma associação promissora dos povos nativos americanos

Foi um ano atrás, durante o Anishinaabeg Makoonsi-Giisis, ou seja, no mês de fevereiro, que, em Taos, Novo México, foi constituída, oficial e historicamente, a Associação Slow Food Turtle Island. A associação, que faz parte do Slow Food Internacional, segue a filosofia do Slow Food, promovendo o acesso a um alimento bom, limpo e justo para todos, com foco especial para os “first foods”, os produtos selvagens que os povos nativos da Turtle Island (Canadá, EUA, México, e Havaí) sempre utilizaram em sua alimentação. Objetivo da associação é tratar as questões alimentares de nossas comunidades, que incluem saúde e bem-estar, uso das terras e agricultura, políticas alimentares, preservação e valorização de antigas variedades locais, de conhecimentos tradicionais e das práticas ligadas a tais conhecimentos.

A associação nasceu depois de um longo percurso – dez anos de colaboração entre agricultores nativos americanos, produtores de alimentos, chefs – e trabalha junto com o Slow Food Internacional, Slow Food EUA e a rede mais ampla do Terra Madre. Muitos de nós foram para a Itália para apresentar a Fortaleza Anishinaabeg manoomin (arroz selvagem), a ovelha Navajo churro e os produtos da Arca do Gosto, como o milho branco Iroquois, o salmão Okanagan, e muitos outros alimentos nativos americanos. Um de nossos líderes, Winona LaDuke, sempre defendeu as questões alimentares dos povos nativos junto ao Slow Food, conseguindo levar o nosso arroz selvagem sagrado para a Arca do Gosto, com a criação da Fortaleza logo em seguida. Alguns de nós participaram de projetos Slow Food e, durante o primeiro Slow Food Nation, que aconteceu em 2008 em São Francisco, a Cultural Conservancy apresentou o primeiro pavilhão dedicado aos alimentos nativos americanos.

A nossa associação conta com um comitê gestor composto por 10 membros, pretendemos desenvolver-nos graças ao interesse e à colaboração de todos. Entre os membros do comitê gestor: organizações sem fins lucrativos de nativos americanos, indivíduos e associações nativas. A ajuda principal vem de: Taos Country Economic Development Corporation, Cultural Conservancy, Intertribal Agriculture Council, Honor the Earth, Traditional Native American Farmer’s Association, Four Bridges Traveling Permaculture Institute, International Indian Treaty Council, Navajo Lifeway, Inc. entre outros.

Hoje, depois de um ano, a nossa associação está crescendo, tornando-se um dos protagonistas dos movimentos nacionais e internacionais de soberania alimentar. Muitos de nós participaram do Terra Madre 2016, que foi organizado em Turim, Itália, onde tivemos a oportunidade de apresentar, no estande da Turtle Island Association, nossos alimentos e nossos problemas; muitos de nós participaram de palestras e oficinas, organizaram eventos culturais e degustações. Hoje, os nossos membros participam de muitos projetos que visam defender a sacralidade de nossos alimentos nativos e de nossas práticas culturais.

Além de enriquecer a associação, graças à participação de encontros estratégicos, estamos planejando a nossa participação no Slow Food Nations, em Denver, Colorado, que acontecerá no próximo mês de julho de 2017, onde estaremos presentes com um pavilhão, apresentando nossos alimentos, com degustações e dando informações. Estamos também envolvidos com a rede do Indigenous Terra Madre (ITM) e queremos ter um papel importante por ocasião do próximo encontro ITM. Com a ajuda da Itália, esperamos continuar contribuindo a “indigenizar” o movimento Slow Food, criando alianças com nossas redes e parceiros, e vamos continuar defendendo e renovando nosso vínculo com os alimentos tradicionais e com as terras nativas.

Para maiores informações:

Navajo Churro Lamb Presidium

Contato: [email protected]

Anishinaabeg Manoomin Presidium

Four Bridges Traveling Permaculture Institute

Contato: fourbridge[email protected]

Turtle Island Association at Slow Food Nations

Dan Cornelius: [email protected]

Native Foodways Program of the Cultural Conservancy

  • Did you learn something new from this page?
  • yesno