Todo ano, o bem-estar de milhões de animais criados para a produção de leite, carne e ovos para consumo humano, é gravemente comprometido.

A grande maioria de animais de criação – porcos, galinhas poedeiras, coelhos, bezerros, gansos e codornizes – são mantidos em gaiolas ou jaulas que impedem comportamentos naturais, como: se coçar, esticar as asas, e algumas gaiolas são tão pequenas, que o animal não pode sequer girar ao redor de seu corpo.

Nas criações intensivas de porcos em diversos países, as porcas passam ainda muito tempo (até 4 meses) nas gaiolas de gestação sem que possam se mexer. Os estados europeus têm leis que, em alguns casos, proíbem o uso, mas ainda assim há cerca de 300 milhões de animais confinados em gaiolas.

A situação mais assustadora encontra-se na China, o maior produtor de carne do mundo, que não tem nenhuma lei nacional proibindo, explicitamente, os maus-tratos contra animais, estabelecendo regras sobre as gaiolas ou jaulas.

O Slow Food, que há anos vem trabalhando para conscientizar os agricultores sobre a questão do bem-estar animal, apoia a Iniciativa de Cidadania Europeia (ECI) promovida pela Compassion in World Farming (Compaixão na Agricultura Mundial – CIWF), que pede ao Parlamento Europeu a eliminação sistemas de confinamento animal nos países da União Europeia.

Faça a sua parte:

Assine a petição END THE CAGE AGE!

(acabar com as gaiolas)

  • Did you learn something new from this page?
  • yesno