Our Food, Our Planet, Our Future – Tudo está interligado

Alimento, planeta, futuro.

A equação que está na base do tema do Terra Madre Salone del Gusto 2020 é aparentemente simples, identificando uma cadeia de relações que deveria ser clara para todos, embora ainda muito poucas pessoas pareçam se dar conta.

Estas relações nos mostram que, dependendo da forma como nos relacionamos com os nossos alimentos – a forma como os produzimos, distribuímos, escolhemos, consumimos -, teremos um impacto significativamente diferente para o planeta. E, dependendo do maior ou menor peso desse impacto, os cenários futuros poderão mudar significativamente.

Há alguns anos, lemos o engraçadíssimo livro E se? – Respostas científicas para perguntas absurdas, onde o físico, programador e cartunista Randall Munroe respondeu, com uma abordagem científica, a perguntas absurdas. A nossa preferida, inclusive pelos cenários malucos a que deu origem, era simplesmente: “Todo mundo pulando”. E se todas as pessoas na Terra ficassem o mais próximas possível uma das outras e pulassem, e todo mundo caísse no chão ao mesmo instante?

E SE…

Para além das hipóteses mais loucas, não seria má ideia nos questionarmos sobre os nossos alimentos, tentando refletir por paradoxos (e, vale lembrar, alguns paradoxos não se afastam muito da realidade).

Imaginando um cenário trágico… E se de repente todos começassem a comer apenas comida importada? Se todos botassem apenas um tipo de peixe ou uma espécie animal e um corte de carne no prato? E se parássemos de tentar mudar a lógica das criações intensivas, de lutar contra os pesticidas, de nos preocupar com a saúde das abelhas e dos polinizadores?

E se, ao contrário, todos comessem comida local sem embalagens plásticas? E se todos deixassem de comer carne pelo menos uma vez por semana? E se todos conseguissem reduzir o desperdício alimentar pela metade?

Infelizmente, o futuro do planeta se aproxima cada vez mais de um caminho sem muita esperança, porque muita gente – gente demais – não se questiona sobre esses “SE”, sem se dar conta do enorme impacto ambiental e social daquilo que comemos. E não fazem nada para mudar esse caminho. Perdemos o bom hábito de estabelecer relações de causa-efeito ou, quando fazemos isso, muitas vezes pensamos de forma egoísta, não percebendo que o mau hábito de um indivíduo (nada de transcendental, basta, por exemplo, comer carne todos os dias, duas vezes por dia, ou comprar comida de plástico, embrulhada em filme plástico, acondicionada e levada para casa em “práticas” sacolas descartáveis), se aplicado à escala global, pode ter consequências devastadoras.

 

ALIMENTOS E ECOSSISTEMAS

No Terra Madre Salone del Gusto 2020, tentaremos traçar esses cenários futuros, ou melhor, tentaremos explicar por que é necessário agir agora – pois temos pouquíssimo tempo – para o futuro que nos espera, tentando torná-lo mais promissor.

E tentaremos fazer isso considerando quatro ecossistemas – quatro lugares físicos muito amplos e diversificados e o conjunto de todas as condições físicas e todos os diferentes organismos existentes dentro deles -, interligados:

  • Terras altas, onde o cuidado do território é considerado uma oportunidade para reativar as economias locais;
  • Terras de água, cujo bem-estar depende da constatação que oceanos, mares, águas internas e recursos hídricos são um bem comum;
  • Terras baixas, onde é proposto um sistema de produção limpo, em contraste com as monoculturas e as criações intensivas, que se torne símbolo de regeneração;
  • Terras e cidades,representadas como um ecossistema justo e inclusivo, onde a informação e a conscientização dos cidadãos podem fazer a diferença.

Esses mundos serão como uma bússola, nos ajudarão a refletir sobre o caminho que estamos seguindo e nos ajudarão a encontrar soluções para construir um futuro diferente.

Fique conosco e leia mais sobre essa questão! Na próxima newsletter, começaremos a falar sobre os dois primeiros ecossistemas.

 

  • Did you learn something new from this page?
  • yesno