Vamos proteger os manguezais e o seu sabor: os jovens de Esmeraldas juntam-se à valorização do património natural e gastronómico do território

A cidade costeira de Esmeraldas, no Equador, abriga um delicado ecossistema onde espécies ameaçadas de extinção correm o risco de perder seu habitat único e, por conseguinte, a população humana corre o risco de perder seu patrimônio alimentar.

Com o objetivo de mobilizar as comunidades locais afro-equatoriana e montubiana para proteger a ecologia característica da região e reconhecer sua importância para a cultura de Esmeraldas, foi iniciada uma nova Fortaleza Slow Food. O projeto envolverá uma ampla colaboração entre o Slow Food e os pequenos produtores locais, a fim de aumentar a produção de alimentos indígenas em risco de extinção. Esse princípio está no coração das Fortalezas Slow Food, que já são mais de 500 em todo o mundo.

“Para mim, comer alimentos típicos de nossa região significa me alimentar da mesma forma que meus pais e os pais dos meus pais. Tem a ver com as tradições transmitidas de geração a geração. Quando como um caranguejo, ceviche ou corbiche, eu tenho consciência de que esta é a herança mais rica que recebi dos meus pais”, diz Patricia Caicedo, membro da Fortaleza Slow Food, cuja mãe trabalhava na coleta de conchas e o pai como produtor de palmeiras. Atualmente, Patricia trabalha como empregada doméstica na parte norte da cidade.

Esse processo de restabelecer o valor da diversidade alimentar local começou com o modesto Cardiosoma crassum, conhecido como cangrejo azul em espanhol e como siri azul ou siri-tinga em português. O habitat desse crustáceo terrestre, que se alimenta de folhas de árvores de manguezais e vegetação circundante, foi posto em perigo pelo turismo de massa; uso de pesticidas e antibióticos na criação de camarões; e por questões mais graves, como a degradação ambiental, a marginalização da população afrodescendente e a falta de oportunidades de educação e capacitação. O siri azul de Esmeraldas foi reconhecido como Fortaleza Slow Food em 2018. Esta Fortaleza depois uniu forças com a organização Luna Creciente (Movimento nacional de mulheres em setores populares) no norte, e com a UOCE (União de Organizações Camponesas de Esmeraldas) no sul – no âmbito do projeto “Empoderamento dos jovens indígenas e de suas comunidades para a defesa do patrimônio alimentar”, financiado pelo Fundo Internacional para o Desenvolvimento Agrícola (FIDA).

A comunidade local está agora empenhada na cadeia de valor do produto e colabora extensivamente com os jovens para desenvolver o projeto.

“Graças ao Slow Food, estamos aprendendo a valorizar e respeitar os produtos locais da nossa região, ao mesmo tempo promovendo formas responsáveis de produzir e consumir o siri azul de Esmeraldas, a nossa Fortaleza Slow Food. É uma fonte de renda essencial para a população local e trabalhamos para preservá-lo, diversificando as atividades econômicas relacionadas, procurando canais de comercialização alternativos”, afirma Patricia, que se juntou ao movimento Slow Food por meio da organização de mulheres Luna Creciente, da qual também é membro. “Aprendi muito sobre a importância de comer alimentos bons, limpos e justos depois de aderir ao Slow Food. Isso me aproximou de ideais fundamentais, como promover a produção sustentável de alimentos”, acrescenta.

Este ano marca o aniversário de 30 anos do manifesto do Slow Food – um momento importante na história da organização e de suas atividades. Para marcar a ocasião, lançamos 30 Anos do Manifesto Slow Food – Nosso Alimento, Nosso Planeta, Nosso Futuro, uma campanha internacional para celebrar a nossa história e olhar para o futuro do planeta. Nas próximas semanas, destacaremos projetos da nossa rede que promovem alimentos bons, limpos e justos para todos no mundo todo.

Apoiar o Slow Food significa ajudar a financiar projetos que capacitam comunidades locais, protegem a biodiversidade e tornam a soberania alimentar uma realidade para todos.

Ajude-nos a comemorar os 30 anos da ação do Slow Food fazendo uma doação ou participando de um evento para arrecadar fundos na sua área.

#SlowFood
#SlowFoodManifesto

  • Did you learn something new from this page?
  • yesno