O Mês do Agricultor: quando a agricultura é amiga do clima!

No mês de novembro, continua Food for Change, a campanha internacional do Slow Food que chama a atenção para a relação entre alimentos e mudança climática. Depois de trabalhar com todos vocês durante o Desafio do Food for Change, chegou a hora de celebrar os agricultores. E o Slow Food celebra com a sua rede no mundo inteiro.

Precisamos ter a coragem de transformar o problema em oportunidade”, afirma José Antonio Casimiro Gonzalez, de Cuba, sócio Slow Food e agricultor. “A mudança climática é uma realidade da qual já não podemos mais fugir, sobretudo no Caribe, vivemos isso diariamente. No ano passado, um furacão destruiu a minha fazenda. A natureza está mandando sinais claros: precisamos mudar, reverter o rumo, escolher práticas agroecológicas, transformá-las em modelo de vida. Por fim, precisamos premiar esses agricultores locais que muitas vezes se sentem abandonados e deixados em último lugar. Precisamos valorizá-los, fazer com que as pessoas sintam que é diferente comer um alimento que tem uma alma. A mudança começa aqui”.

“Se alguém tivesse me dito que eu teria trabalhado a terra, até mesmo 10 anos atrás, eu teria negado, com certeza”, afirma Roberta Billitteri, produtora de feijão Badda e de pimentão de Polizzi Generosa, duas Fortalezas Slow Food sicilianas. “Eu queria mudar o mundo, mas imaginava de outra forma. Depois entendi que para mudar, é preciso trabalhar a terra, sujar as mãos, entendi que a mãe natureza ensina a trabalhar com regras que não se podem mudar. Esse trabalho deve ser feito com consciência e dignidade, compartilhando os valores e envolvendo a própria comunidade”.

Preservar as produções locais e, com elas, os produtores de pequena escala, é a solução também na África.

“A mudança climática já se tornou realidade também em Burkina Faso”, explica Jean Marie Koalga, conselheiro Slow Food para a África ocidental. “Percebemos das chuvas: os fenômenos extremos são cada vez mais frequentes, das inundações às secas. Como podemos lutar contra tudo isso? A resposta não pode ser aceitando a lógica dos OGMs, das monoculturas, dos defensivos químicos. Para nós, a resposta encontra-se nas comunidades, na descoberta das variedades locais e das práticas agrícolas tradicionais que melhor se adaptam ao contexto ambiental. A resposta à mudança climática é a defesa da biodiversidade e, com ela, dos agricultores que devem ser conscientes da importância de seu trabalho e que merecem gratificações”.

Então, como participar do Mês do Agricultor?

Há muitas formas: organizando eventos para agradecer os agricultores, criando um prêmio para divulgar suas histórias e o conhecimento dos produtos.

A seguir algumas dicas para comemorar seu agricultor de confiança

Juntos, no mercado de produtores

Organize um almoço, um lanche, um aperitivo para os agricultores do mercado de produtores mais próximo de você. Será uma forma bonita de passar um tempo juntos, e de agradecer por seu empenho!

Almoços, jantares, disco-xepas…

Piqueniques, eat-ins, almoços ou jantares em escolas, restaurantes, em casa, fazendas ou áreas públicas permitem compartilhar o prazer da comida boa, limpa e justa, com um público mais numeroso. Convidando os agricultores, os participantes poderão aprender a conhecer e apreciar a gastronomia local. Estas oportunidades também ajudam a lembrar que o alimento é prazer, cultura e convívio.

Visitas nas fazendas

As visitas aos agricultores representam uma excelente oportunidade de fortalecer os vínculos entre produtores e consumidores. O resultado é uma experiência educativa direta, durante a qual as pessoas podem descobrir novos produtos e aprender dos agricultores, vendo com seus próprios olhos qual o modelo produtivo que queremos promover.

Atividades de educação alimentar

As atividades de educação alimentar têm diversas formas e podem ser organizadas para um público variado: crianças e adultos, professores, agricultores, sócios Slow Food, apoiadores. Essas atividades podem incluir iniciativas nas hortas escolares, degustações guiadas com a intervenção de um agricultor local, intercâmbios entre diversas gerações ou oficinas. Lembre-se sempre de envolver os agricultores da sua área.

Invente um prêmio especial e crie um evento

Você poderá premiar um grupo de agricultores por seu empenho na preservação do meio ambiente e da biodiversidade. Organize um encontro, conte a história desses agricultores, e envolva o maior número de pessoas possível.

 O que é que você está esperando? Participe!

  • Did you learn something new from this page?
  • yesno