Chegou a hora de acabar com as gaiolas: assine a petição!

Precisamos alcançar 1 milhão de assinaturas para salvar mais de 300 milhões de animais na Europa.

Na Europa, a cada ano, cerca de 300 milhões de animais são confinados em gaiolas. Os derivados desses animais – carne, ovos, laticínios – destinam-se às prateleiras de nossos supermercados e, por conseguinte, às nossas mesas. Não podemos olhar para o outro lado: a questão das gaiolas também tem a ver conosco. Chegou a hora de dizer chega!

Desde o início do processo de domesticação de algumas especies animais, o ser humano estabeleceu com elas uma relação intensa, feita de conhecimento e reconhecimento. Essa relação porém desgastou-se devido à industrialização das criações e à globalização, fundamentando-se progressivamente na negação de qualquer direito e, muitas vezes, na violência.

Hoje, o bem-estar de milhões de animais está seriamente comprometido.

As galinhas poedeiras, por exemplo, são criadas em estruturas onde há centenas de milhares de aves, confinadas em gaiolas que lhes impedem comportamentos naturais como ciscar, coçar-se, bater as asas, etc.… inclusive, simplesmente, mudarem de posição. Nas grandes criações de suínos de vários Países, as porcas passam muito mais tempo – até 4 meses – nas gaiolas de gestação sem poderem se mexer. Coelhos e codornizes passam suas vidas inteiras em gaiolas dispostas em baterias; após poucos dias do nascimento, os bezerros são confinados em box individuais sem ter relação alguma com as mães.

Os países europeus possuem leis que, em alguns casos, proíbem o uso de gaiolas mas, não obstante isto, ainda hoje há milhões de animais que passam a vida inteira, ou boa parte dela, confinados.

Juntos, podemos colocar um ponto final nesse sistema graças à Iniciativa de Cidadania Europeia (ECI) End the Cage Age!

O Slow Food, que há anos está comprometido com a sensibilização dos criadores quanto ao tema do bem-estar dos animais, apoia a petição lançada por Compassion in World Farming (CIWF) que pede que o Parlamento Europeu acabe com esse sistema de criação de animais nos estados da União Europeia.

A campanha europeia, que reuniu mais de 130 associações europeias, já recolheu mais de 300.000 assinaturas, mas isto ainda não é suficiente: é preciso alcançar 1 milhão de assinaturas em, pelo menos, 7 dos Estados-membros. Se a petição alcançar o número de assinaturas requerido, a Comissão terá três meses de prazo para analisá-la e se pronunciar, decidindo se dar ou não seguimento à instância.

No sistema atual, os animais ainda pagam um preço muito alto e chegou a hora de mudar essa situação. É possível mudar o sistema de criação de animais.

 A prova disso são as Fortalezas Slow Food que há anos procuram propor e implementar sistemas de criação de animais que respeitem o bem-estar dos animais e do planeta, que façam com que os animais possam viver por mais tempo, sem serem mutilados, que possam ser nutridos de forma saudável e receber cuidados.

 

Nas criações em semi-liberdade, os animais vivem ao ar livre por grande parte do ano e crescem alimentando-se principalmente de ervas, feno e integrações de cereais. Os bezerros e os leitões nascem no estabelecimento agrícola e são deixados com as mães por períodos mais longos. Frequentar espaços abertos faz com que os animais sejam menos agressivos e com este sistema de criação é possível evitar o uso de antibióticos. Concluindo, nos estabelecimentos agrícolas de pequena escala, os animais são abatidos com sistemas que evitam, o máximo possível, o medo e a dor. 

Assine a petição contra as gaiolas, juntos podemos fazer a diferença!

  • Did you learn something new from this page?
  • yesno