GUIA SLOW FISH – SLOW FISH ARENA: o programa

18 Abr 2019

Como já antecipamos, a grande novidade do Slow Fish 2019 é a Slow Fish Arena.

Slow Fish Arena é o coração do evento, onde pescadores, cozinheiros, pesquisadores e especialistas da rede internacional do Slow Fish, além de jovens, povos indígenas, migrantes das outras redes Slow Food e as empresas italianas mais inovadoras apresentarão suas boas práticas: pequenos gestos e grandes projetos que podemos por em prática diariamente para uma maior conscientização e para preservar o mar, bem comum.

O calendário de todos os eventos da Arena está online, e podemos desde já dar uma volta para que você possa ver os diversos tipos de atividades, cujos detalhes serão incluídos com a proximidade do evento.

 Baixe o programa completo!

 width=

ALGUÉM PENSA NAS CRIANÇAS – SEA WORKSHOPS

Muitos eventos são voltados para crianças e escolas:

  • O aquário de Gênova apresenta a oficina Stretti stretti, aggrappati alle rocce (coladinhos, grudados nas rochas) dedicado aos organismos da zona mesolitoral do Mediterrâneo ocidental, entre eles, a Patella ferruginea, um dos invertebrados marinhos com maior risco de extinção.
  • O Consorzio Ricrea organiza a oficina Ambarabà Riciclocò, com o cantador Mirko Barbieri, que apresenta suas canções sobre o tema da reciclagem de recipientes de aço e as vantagens dessa prática para o meio ambiente.
  • O biólogo marinho Silvio Greco fala sobre o plástico e como é considerado uma das maiores emergências ambientais da atualidade. Apenas se produzirmos menos e aproveitarmos melhor o plástico poderemos trazer alguma vantagem para o mar e seus habitantes, que sofrem danos incalculáveis.
  • Encontro com os sommeliers da água, organizado pela Iren (companhia de água e esgoto de Gênova), onde o protagonista nos leva à descoberta das águas potáveis, com dicas para um consumo responsável, protegendo o meio ambiente.
  • Todos prontos para dançar ao som do Ritmiciclando, um grupo de excelentes músicos de Gênova, com nomes improváveis: Uomo Stagno (Homem Estanho, o senhor dos resíduos especiais); Ciabat-man (vidro); Trash Gordon (plástico e latinhas); Dark Water (resíduos orgânicos); Capitan Discarica (Capitão aterro, papel e papelão); e Steve Larsen. Os instrumentos são construídos com materiais reciclados das “ilhas ecológicas” da Amiu (a empresa de coleta de lixo de Gênova). Não percam a oportunidade de vê-los em Riciclo? Musica per le mie orecchie! (Reciclagem? Música para os meus ouvidos!)
 width=

A VOZ DAS COMUNIDADES DA PESCA – SEA STORIES

As comunidades do Terra Madre do mundo inteiro levam para o Slow Fish suas experiências de pesca artesanal, refeições coletivas e distribuição.

  • As comunidades magrebinas do Marrocos e da Tunísia mostram suas técnicas de pesca tradicional, como a charfia, uma espécie de labirinto fixo construído alinhando milhares de folhas de palmeira que, com as correntes, atrai os peixes para as câmaras de captura.
  • Pierre Mollo, biólogo francês, apresenta o seu projeto La voix des oceans, (a voz dos oceanos), um documentário (com trilha sonora) que mostra a magia da vida nos oceanos e a fragilidade do plâncton oceânico.
  • Dal banco alla tavola (do balcão à mesa) evento dedicado aos cozinheiros da rede e aos projetos de distribuição boa, limpa e justa, reunindo experiências da Espanha, México e Colômbia.
  • Histórias 100% italianas, Ritratti di pescatori e tecniche di pesca (retratos de pescadores e técnicas de pesca) é um evento dedicado ao equipamento dos catadores de mariscos de Taranto, na região da Puglia; aos “ofícios” sicilianos e ao trabalho dos pescadores de Camogli, na região da Ligúria, que – provavelmente nem todos sabem – também tecem e remendam.
  • Quem são as rainhas dos mares? Convidamos algumas delas para o Slow Fish: as pescadoras da Coreia, que mergulham em apneia para capturar seus peixes; defumadoras, catadoras de ostras e cozinheiras. Cabe a elas a tarefa de mostrar que a pesca e o mar não são domínio exclusivo dos homens.
  • Nas nossas Stories, incluímos também dois eventos dedicados às comunidades migrantes de Gênova: Migrazioni e cibo, letture e danze (migração e alimentos, leituras e danças) e Assaggi di Suq (sabores de souk), com muitas informações sobre o festival que animará a Piazza delle Feste, de 15 a 24 de junho.
 width=

BOAS PRÁTICAS PARA UM FUTURO MELHOR – SEA IDEAS

Sea Ideas é o espaço para a inovação sustentável.

  • Diversos encontros dedicados ao tema dos plásticos e microplásticos, com muitas dicas sobre o que cada um de nós pode fazer: Plastic no more: dal packaging dei prodotti alle piccole azioni quotidiane (Plastic no more: da embalagem dos produtos às pequenas ações cotidianas); La nuova vita del pvc (a nova vida do pvc); Buone pratiche per ripulire il mare dalla plastica (boas práticas para o mar dos plásticos); Cominciamo da casa: l’alternativa alla plastica in cucina (começando em casa: a alternativa ao plástico na cozinha).
  • O encontro Ricette contro lo spreco alimentare (receitas contra o desperdício alimentar) aborda outro grande problema dos nossos tempos, com dicas para reduzir os desperdícios.
  • O evento Mareggiate e tempeste (ondas e tempestades), aborda o tema da mudança climática, mas também apresenta uma experiência positiva de reciclagem, que tem tudo a ver com o Slow Fish.
  • Il pesce va in città (o peixe vai à cidade), questiona a consciência dos consumidores. Quais as tendências e os hábitos de consumo de peixe na cidade? Que dicas de boas práticas de compras podemos dar aos consumidores para que conheçam as espécies e sua origem? Como evitar fraudes?
  • No evento Isole: tra terra e acqua (ilhas, entre terra e água), tentamos ver as ilhas como verdadeiros laboratórios de desenvolvimento sustentável, representando lugares especiais de aplicação de exemplos de economia circular e de desenvolvimento harmônico.
  • Estarão presentes no Slow Fish dois defensores do meio ambiente que utilizam a corrida, as pernas e o fôlego como instrumentos de conscientização ambiental.
  • Um deles, Roberto Cavallo, e sua experiência na corrida, é tema de um documentário que o cineasta Mimmo Calopresti, Immondezza (lixo) apresentará durante o Slow Fish, com a presença do Procurador-Geral de Reggio Calabria, Bernardo Petralia. Uma oportunidade imperdível para falar sobre o Sul, sobre resistência e luta contra o isolamento e o abandono da região, e sobre a beleza.

Todos os eventos da Slow Fish Arena são gratuitos, com vagas limitadas. Divulgue boas práticas você também: participe!

por Silvia Ceriani
[email protected]

 width=

Mude o mundo através da comida

Aprenda como você pode restaurar ecossistemas, comunidades e sua própria saúde com nosso kit de ferramentas RegeneAction.

Please enable JavaScript in your browser to complete this form.
Nome
Privacy Policy
Newsletter