Bledar Kola, chef da Aliança de Cozinheiros Slow Food, compromete-se em educar as crianças

27 Jun 2017

 width=

Bledar ainda era adolescente quando deixou a Albânia para ir a Londres, onde trabalhou em diversos restaurantes, conseguindo construir sua carreira como chef. Ficou no exterior muitos anos, desenvolvendo suas capacidades culinárias em alguns dos mais prestigiados restaurantes, entre eles: o Pied à Terre, o Noma, e o Fäviken. Quase dez anos atrás, decidiu voltar para casa, com o desejo de aprimorar a cozinha da Albânia. Em fevereiro de 2016, inaugurou seu restaurante, o Mullixhiu (o moleiro).

O restaurante segue a filosofia do Slow Food, servindo ingredientes albaneses sazonais, e suportando cinco espécies de trigo em risco de extinção. No local há um moinho de pedra, onde o trigo é transformado em pão, que é vendido, diariamente, no próprio restaurante. “Todo o conceito do restaurante pretende chamar a atenção para o alimento e para as variedades de trigo que estão desaparecendo”, afirma Bledar, acrescentando que o Slow Food e a Aliança de Cozinheiros são movimentos muito populares na Albânia. “A nossa experiência de participação no Slow Food é muito positiva, além da qualidade dos alimentos promovidos, é visível o impacto que o Slow Food produz nas pessoas”:

Bledar acredita que os chefs tenham um papel fundamental como intermediários entre produtores e consumidores, e que deveriam aproveitar desse papel para melhorar a cultura alimentar em suas comunidades. Um de seus projetos foi inspirado pela crescente obesidade das crianças albanesas, que se deve a um sentimento de vergonha com os lanches preparados em casa, em prol de lanchinhos prontos e pouco saudáveis.

Bledar deu início a um movimento chamado Buka ne Strajce (pão na mochila), chamando a atenção para a importância de um lanche preparado em casa. O movimento foi muito seguido na mídia social, onde famosos profissionais do setor – Carlo Petrini e René Redzepi entre outros – apoiaram a ideia. Bledar organizou encontros num parque local, mostrando aos pais como preparar um lanche saudável para as crianças levarem para a escola. Com suas poupanças, Bledar também comprou um caminhão, que serve para visitar escolas e para a realização de atividades de educação das crianças, chamando a atenção para a importância de uma comida saudável, e da comida caseira. Segundo ele mesmo explicou: “A questão é muito complexa, está sendo prejudicado o futuro das crianças, e quase ninguém ainda se dá conta. Eu faço o que eu posso para mudar as coisas, como chef de um pequeno país. Sinto como uma missão: educar as crianças a comer de forma saudável. Fico muito preocupado quando vejo as crianças que chegam ao restaurante, com as últimas tecnologias, comendo sem tirar os olhos de seu celular. É um problema sério, não apenas na Albânia, em quase todo o mundo. As pessoas sabem mais sobre iPhone que sobre as frutas nativas de sua região. Os chefs podem reverter esse rumo. Precisamos dedicar algum tempo à educação das crianças, que estão crescendo sem saber nada sobre os alimentos que comem”. O trabalho de Bledar é um grande exemplo do papel fundamental que os chefs têm de influenciar a cultura alimentar, trabalhando para produzir uma mudança para melhor.

Mude o mundo através da comida

Aprenda como você pode restaurar ecossistemas, comunidades e sua própria saúde com nosso kit de ferramentas RegeneAction.

Please enable JavaScript in your browser to complete this form.
Nome
Privacy Policy
Newsletter