A África festeja o Terra Madre Day

03 Dez 2015

Dez mil hortas, agricultura orgânica, segurança alimentar e muito mais: muitas ideias para comemorar o alimento local com o Slow Food

terra madre day_Africa

“O Terra Madre Day sempre desempenhou um papel fundamental para as comunidades africanas, não apenas na conscientização sobre temas como segurança alimentar, produções geneticamente modificadas, valor do alimento local e tradicional, e importância de uma agricultura sustentável, mas também como meio para reunir as comunidades, tornando mais forte a ligação com o território e com as origens, fortalecendo ao mesmo tempo as economias locais e os próprios territórios.” São as palavras de John Kariuki, conselheiro da Fundação Slow Food e coordenador das atividades do Slow Food no Quênia.

E, de fato, a festa do alimento local parece ser um momento importante para as comunidades locais de todo o continente africano. Edie Mukiibi, vice-presidente do Slow Food Internacional, conta que “em Uganda, no dia 12 de dezembro, no Nama Wellness Youth Centre de Mukono, a rede do SFYN nacional organizará um evento dedicado aos produtos locais e tradicionais. O Forgotten Vegetables Party será uma oportunidade única para conhecer produtos às vezes esquecidos, vindos de regiões e culturas de todo o país. Na cozinha, diversos grupos apresentarão a história dos produtos, preparando receitas típicas da região de origem, com o objetivo de despertar a curiosidade sobretudo dos jovens e fazer com que produtos que podem ter um papel fundamental para a soberania alimentar voltem para a mesa”.

O Slow Food Youth Network Kenya também organiza uma Disco Xepa no dia 7 de dezembro, no Molo Street Children Project. O evento será dedicado ao tema do desperdício alimentar, muito atual também no Quênia, onde grande parte da população passa fome. Edie explica que “cerca de 40% dos alimentos do Quênia é desperdiçado e, por isso, é preciso conscientizar a camada da população mais afortunada para que economize e ofereça o excedente aos mais necessitados. Por isso, envolvemos as comunidades que trabalham com o projeto das Dez mil hortas na África, que nos ajudarão a preparar e servir a refeição para todos os participantes”. No dia 11 de dezembro, a rede também organizará um encontro com a delegação que participou do Terra Madre Jovens – We Feed the Planet para discutir agricultura sustentável, mudança climática e, sobretudo, segurança alimentar.

Inúmeros eventos giram em torno do projeto das Dez mil hortas na África. Nos distritos de Masaka, Sembabule, Rakai e Lwengo, as comunidades locais vão preparar uma refeição perto de suas hortas usando os produtos cultivados e conscientizando a população local sobre o papel das hortas e a filosofia do Slow Food. O convivium Slow Food de Mukono (Uganda) organizará, no Kisoga Community Center, um evento dedicado aos produtos e às receitas hoje quase desconhecidas. O Convivium South Eastern (Quênia) trabalhará com os alunos com deficiências da escola Kathonzweni, realizando algumas atividades nas hortas das escolas vizinhas e das comunidades, colhendo produtos locais e preparando, juntos, o almoço de 10 de dezembro.

No Quênia, além de boa comida, haverá música e, principalmente, a cultura da comunidade local Kuresoi. O Terra Madre Day do convivium de Slow Food Central Rift será celebrado junto à cerimônia de iniciação dos anciãos da comunidade do distrito Kuresoi do norte. A comunidade, formada principalmente por agricultores, reunir-se-á diante do conselho tradicional, compartilhando com os jovens, os “novos” anciãos do conselho e os líderes da comunidade, não apenas orações e valores comuns, mas também os produtos e a música tradicional. O Convivium Emuhaya dedicará o Terra Madre Day às energias renováveis, para criar maior consciência sobre as tecnologias que, sobretudo na cozinha, podem melhorar a eficiência energética. Aquecedores de baixo consumo energético e panelas especiais serão utilizadas para cozinhar os pratos tradicionais que serão servidos no dia 8 de dezembro no Bio-gardening Innovations Centre de Emuhaya. As comemorações do Convivium Mwea serão na aldeia Kiaga, com um evento com um título interessante: “Comer alimentos indígenas não é uma moda, mas um retorno à nossa cultura”. O evento dará aos participantes a oportunidade de conhecer produtos e receitas tradicionais quase esquecidas, além de canções e músicas tradicionais.

Por fim, no Senegal, o Convivium Ndarndar-bi dedicará o Terra Madre Day à cadeia de produção do café. O encontro, previsto para o dia 10 de dezembro, em Dakar, terá como protagonista o café touba, um café produzido pela comunidade do alimento local. Dizem que o café aromatizado com pimenta da Guiné foi levado para o Senegal no começo do século XX pelo fundador da confraria Muride, Cheikh Ahmadou Bamba, que aprendeu a receita durante o seu exílio no Gabão. Ainda hoje, os seguidores do Muridismo atribuem a esta bebida um valor simbólico e a utilizam em cerimônias religiosas. Já há alguns anos, o café Touba tem se tornando cada vez mais popular, sendo muitas vezes oferecido por vendedores ambulantes pelas ruas.

“o Terra Madre Day – explica Edie Mukiibi – é dedicado aos nossos alimentos tradicionais e locais, para fazer conhecer exemplos de biodiversidade alimentar, manifestando orgulho e gratidão à Terra Mãe. Não importa o quão grande seja o evento, o que conta é a vontade e o entusiasmo de se reunir e celebrar o patrimônio alimentar e sua biodiversidade

Venha descobrir os outros eventos na África na página Facebook e organize-se para comemorar conosco o dia 10 de dezembro! Falta pouco! Procure o evento mais próximo ou crie um evento novo: inspire-se nas edições passadas e baixe do site tudo o que achar necessário. E não esqueça: cadastre seu evento na página do evento no Facebook!

Mude o mundo através da comida

Aprenda como você pode restaurar ecossistemas, comunidades e sua própria saúde com nosso kit de ferramentas RegeneAction.

Please enable JavaScript in your browser to complete this form.
Nome
Privacy Policy
Newsletter