Santa Catarina apoia o leite cru: o Slow Food ao lado de produtores e ativistas que defendem o leite cru no Brasil

Uma meta importante para os produtores de queijos artesanais de leite cru: agora o Projeto de Lei deve ser assinado pelo Governador, tornando-se fonte de inspiração para outros Estados do Brasil

A Assembleia Legislativa do Estado da Santa Catarina aprovou em 13 de dezembro o PL 470.5/2017 que permite a formalização e a legalização de produtores de queijo artesanal de leite cru, disciplinando portanto a atividade dos produtores artesanais de queijo de leite cru. O texto ainda precisa passar por um segundo turno de votação, para ter a assinatura do Governador, para que o Estado de Santa Catarina se torne o segundo Estado brasileiro, depois de Minas Gerais, a autorizar esse tipo de produção.

Segundo o último censo agrícola, no Estado de Santa Catarina, registrou-se, em 10 anos, uma redução em aproximadamente 90% do número de produtores de queijo artesanal de leite cru. A razão desta drástica redução se deve ao fato que, embora exista no Brasil uma rica e heterogênea cultura queijeira (nem sempre conhecida e apropriadamente valorizada), os produtores são muito limitados pelas normas higiênico-sanitárias. A notícia da aprovação do PL por parte das três Comissões de avaliação deixa felizes todas as organizações que, junto com o Slow Food, colaboraram com o Deputado estadual que assinou o projeto de lei – APACO (Associação dos Pequenos Agricultores do Oeste Catarinense); COOPERMAJOR (Cooperativa Agroindustrial de Major Gercino); COMERQUEIJO (Associação de Comerciantes de Queijos Artesanais do Brasil); CREDISEARA (Cooperativa de Crédito Rural Seara); EPAGRI (Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina); FETAESC (Federação dos Trabalhadores na Agricultura); Rede Sial Brasil; Prefeitura de Major Gercino e UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina).

Durante o Cheese 2017, o evento do Slow Food dedicado ao mundo dos queijos de leite cru, que aconteceu na Itália no passado mês de setembro, foram lançados os Estados Gerais do Leite Cru, encontro do qual participaram 15 produtores de todo o mundo, inclusive do Brasil, trocando opiniões e experiências sobre a produção de leite cru, os obstáculos presentes e os desafios para o futuro. A batalha em defesa do leite cru conseguiu resultados importantes, tanto que a rede de produtores ampliou-se a países como África do Sul e Argentina. Mas o caminho é ainda longo, e é por isso que a aprovação da lei no Estado de Santa Catarina poderá representar uma vitória muito importante para o movimento no Brasil.

O Projeto de Lei non trata apenas o processamento, mas defende todo o processo (tratando por exemplo o uso de instrumentos de madeira que desempenham um papel importante para a segurança dos queijos de leite cru, contrariamente aos padrões industriais). Todas as fases do processo de produção e todos os tipos de queijo artesanal de leite cru serão disciplinados por uma norma apropriada.

No Brasil, o Slow Food sempre esteve ao lado dos produtores artesanais de queijos de leite cru, mapeando os produtos em risco, com o projeto da Arca do Gosto; educando ao consumo e promovendo campanhas para a modificação de leis; e organizando eventos de divulgação. O Estado de Santa Catarina poderá beneficiar, em breve, de uma lei apropriada e justa para preservar o patrimônio que os produtores artesanais, em particular mulheres e jovens das comunidades rurais, estão mantendo vivo, fazendo com que esse rico, e ao mesmo tempo delicado, patrimônio cultural, social e econômico, não acabe, em poucos anos, extinto para sempre.

 

 

  • Did you learn something new from this page?
  • yes   no