Young Indigenous Peoples Apresentam um Plano de Ação para Definir o Futuro do Sistema Alimentar Africano

O evento reunirá delegados indígenas jovens do Quênia, Uganda, Tanzânia, República Democrática do Congo, Zâmbia, Malawi e África do Sul

De 3 a 7 de dezembro, delegados do Quênia, Uganda, Tanzânia, República Democrática do Congo, Zâmbia, Malawi e África do Sul estarão reunidos em Nakuru, no Quênia, para participar do evento “Definindo o futuro do sistema alimentar na África”. Participarão delegados membros das redes Indigenous Terra Madre (ITM)*, Slow Food Youth Network** (SFYN) e do programa Hivos Sustainable Diets for All (SD4All)***.

Definindo o futuro do sistema alimentar na África” é um evento de cinco dias de treinamento para que os jovens delegados adquiram as ferramentas necessárias para proteger e promover o seu patrimônio alimentar, aprendam como participar de processos políticos e de tomada de decisão e como transformar seus planos em ação.

Durante o treinamento, os delegados criarão um Plano de Ação comum, que será apresentado para instituições locais e internacionais num evento aberto ao público no último dia, 7 de dezembro. O retorno dado por essas instituições ajudará a criar sinergias e programas comuns para que o projeto possa ser apresentado para as partes interessadas.

“Durante quatro dias, os delegados participarão de oficinas de capacitação e eventos de networking como jovens líderes do SFYN, indígenas e não indígenas”, diz Valentina Gritti, da Slow Food Youth Network. “Além do desenvolvimento de Planos de Ação para pressionar por mudanças no sistema alimentar africano, os delegados celebrarão a conscientização e apreciação de produtos e manufatos tradicionais. O evento será uma oportunidade para discutir e compartilhar abordagens sobre alimentação saudável, direito à terra, agroecologia, sementes e gênero na agricultura.”

“Este evento é um marco importante no Road Map para 2020 definido pela Indigenous Terra Madre Network no Quênia”, afirma Maasai Tunda Lepore, membro do Conselho Consultivo da ITM. “O envolvimento dos jovens é primordial para a continuidade da luta contra a produção alimentar nociva e outros desafios relacionados. É fundamental que as gerações mais jovens e povos indígenas tenham oportunidades para confrontar e compartilhar seus conhecimentos e habilidades para enfrentar desafios globais como a emergência climática e a fome. Nós, jovens indígenas e não indígenas, precisamos ser aliados nisso. Precisamos fazer com que a nossa voz seja ouvida e de uma forma mais estratégica, e é disso que trata esse evento.”

Os delegados terão experiência prática em saídas de campo que mostrarão como as comunidades locais lidam com questões específicas, como sementes, direito à terra e agroecologia: visitarão a organização Seed Savers Network Kenya, as Fortalezas Slow Food do Mel Ogiek e das Urtigas Secas da Floresta Mau, e a Horta Comunitária Karirikani do Slow Food.

O destaque no final da semana será o evento Indigenous Terra Madre, com palestras e oficinas abertas ao público. O foco das palestras será a emergência climática e os sistemas alimentares indígenas, além da proteção da cultura alimentar e da biodiversidade pelo projeto Arca do Gosto do Slow Food.

“Definindo o futuro do alimento na África” tem o apoio do programa SD4All, implementado pelas organizações Hivos e IIED, e financiado pelo Ministério das Relações Exteriores da Holanda. Este evento conta com a colaboração contínua entre Hivos e Slow Food no Programa de Sistemas Alimentares Sustentáveis das Nações Unidas One Planet Network, e com a parceria de longa data do Slow Food com o The Christensen Fund e com o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (FIDA), para o fortalecimento da rede Indigenous Terra Madre.

*A Indigenous Terra Madre (ITM) é uma rede de comunidades, parceiros e organizações indígenas formada para trazer as vozes dos povos indígenas para frente do debate sobre alimento e cultura, e para desenvolver redes regionais e globais. Envolvendo milhares de pessoas em 86 países, a rede ITM organiza eventos internacionais, regionais e locais. O primeiro evento global do ITM foi realizado na Suécia em 2011; o segundo, na Índia em 2015. 

**SFYN é uma rede internacional de jovens que geram mudanças na área da produção e consumo de alimentos. Foi fundada por jovens entusiasmados e motivados pela paixão por alimentos bons, limpos e justos e pelo interesse por questões de sustentabilidade. A rede faz parte do movimento internacional Slow Food, envolvendo jovens de cerca de 100 países, com 27 grupos na África subsaariana.

Para mais informações, entrar em contato com:

SFYN Network: Anna Messerschmidtanna.messerschmidt93@gmail.com

Slow Food HQ: Giulia Capaldig.capaldi@slowfood.it

O Slow Food é uma rede global de comunidades locais fundada em 1989 para prevenir o desaparecimento de culturas e tradições alimentares locais e combater o crescimento da cultura do fast food. Desde sua fundação, o Slow Food tornou-se um movimento global, envolvendo milhares de pessoas em mais de 160 países, trabalhando para garantir que todos tenham acesso a alimentos bons, limpos e justos. O Slow Food é a organização guarda-chuva responsável pela orientação de todo o movimento.

***Hivos é uma organização sem fins lucrativos estabelecida em 1968 na Holanda, que busca soluções novas e criativas para problemas globais persistentes. O nosso ideal é um mundo verde – um mundo onde as pessoas usem recursos de forma sustentável e para benefício de todos. Na sua busca de sociedades mais ecológicas, Hivos apoia a transição para sistemas alimentares diversificados, resilientes, justos e sustentáveis. A Hivos e seus parceiros demonstram que dar acesso a alimentos suficientes, com preço acessível e saudáveis para todos, especialmente para consumidores de baixa renda, pode criar oportunidades econômicas substanciais e gerar um retorno ambiental positivo. O SD4All é um programa que usa evidências geradas por cidadãos para ajudar comunidades de baixa renda na Bolívia, Indonésia, Quênia, Uganda e Zâmbia, melhorando o seu acesso a alimentos sustentáveis diversificados e nutritivos.

  • Did you learn something new from this page?
  • yesno