A riqueza da biodiversidade da América Latina sobe ao palco no Terra Madre Salone del Gusto 2016

Organizada por Slow Food, Região Piemonte e Cidade de Turim, a 11° edição de Terra Madre Salone del Gusto, o mais importante evento internacional dedicado à cultura dos alimentos, será realizado em Turim (Itália) de 22 a 26 de setembro. O evento contará com 5.000 delegados procedentes de 160 Países, mais de 800 expositores, 300 Fortalezas Slow Food e 500 Comunidades do alimento pertencentes à rede Terra Madre.

A América Latina é o continente com maior concentração de biodiversidade no mundo. Esse continente estará representado em Terra Madre Salone del Gusto por uma numerosa delegação da rede Slow Food, que trabalha há tempo para valorizar não só o enorme patrimônio de produtos agrícolas mas também as variedades de plantas comestíveis e as receitas tradicionais da região, através de projetos da Arca do Gosto e dos Fortalezas.

Chegarão da Argentina duas Fortalezas no âmbito do mercado internacional: a do Queijo de cabra de Tucumán com um grupo de produtores de queijos artesanais feitos com leite cru e a fortaleza Frutos silvestres de Gran Chaco, que protege os frutos das árvores de algarobeira branca, chañar e mistol, tradicionais da cultura alimentícia das comunidades indígenas Wichi e Comle’ec.

Tomarão parte no evento também as Comunidades argentinas dos apicultores e meliponicultores de Oberá e os beneficiadores de pequenos frutos silvestres de Neuquén.

O Brasil estará representado pelas Fortalezas Guaraná nativo dos Sateré-Mawé, Umbu, Castanha de baru, Licuri, Mel de abelha Mandaçaia da Caatinga e Maracujá da Caatinga.

A exposição fotográfica no Castello del Valentino – Brasil, Angola e Moçambique: um projeto de cooperação em três estados – acolherá as imagens da fotógrafa brasileira Iêda Lúcia Marques de Almeida que retratam as comunidades identificadas graças a um trabalho de mapeamento dos produtos locais e tradicionais, feito por Slow Food no estado da Bahia.

Dentre as comunidades brasileiras que participarão no evento encontram-se os jovens criadores de abelhas nativas do Rio Grande do Norte, os beneficiadores de frutos do butiá da Serra das Encostas Gerais, os produtores de cacau de Arataca, os beneficiadores de frutos nativos da Mata Atlântica, os produtores de doces tradicionais de São Bartolomeu.

Provenientes do Chile participarão no Terra Madre Salone del Gusto:

  • A Fortaleza Galinha dos ovos azuis, uma raça de galinhas araucana do Valle del Itata preservada por gerações das comunidades indígenas Mapuche.
  • A Fortaleza Merkén, um condimento e alimento ancestral que há mais de 300 anos é parte da cozinha indígena Mapuche.

Dentre as comunidades do alimento procedentes do Chile que tomarão parte no evento destacamos: as apanhadoras de pinhas de Curarrehue, os produtores de méis de flora nativa do Valle del Itata, os viticultores artesanais de Portezuelo e as recolhedoras de frutos do bosque Valdiviano.

A Colômbia estará representada em Terra Madre Salone del Gusto pelas seguintes Fortalezas: 

  • Caranguejo negro de Providencia, uma pequena ilha situada no Mar do Caribe onde há milhares de exemplares de caranguejo negro, um crustáceo endêmico que tornou-se um ícone da gastronomia raizal (termo que define os habitantes e a cultura do Arquipélago formado por San Andrés, Providencia e Santa Catalina) e que por essa razão deve ser protegido.
  • A Fortaleza Cacau porcelana da Sierra Nevada de Santa Marta, um maciço montanhoso habitado prevalentemente por comunidades indígenas como os Kogi, os Arhuacos e os Wiwa.
  • Feijão de Guajira, elemento principal da maioria das receitas tradicionais das comunidades Wayuu.

Estará também presente a coordenadora da Fortaleza Milhos nativos de Nariño, uma região que possui um ecossistema riquíssimo em biodiversidade, habitado por comunidades indígenas e agrícolas que preservaram durante séculos e que ainda cultivam os milhos nativos nos próprios sistemas de produção. A Fortaleza Slow Food entende fortalecer a produção de 10 variedades locais de milhos nativos que estão sob risco de extinção.

Vindos do Equador estarão presentes as Comunidades dos produtores de xarope de agave de Cayambe e dos produtores de chocolate artesanal e de cacau de Pichincha.

Esteban Tapia, chef, pesquisador e promotor das tradições culinárias do Equador, apresentará num evento da Scuola di Cucina (Escola de Cozinha) (domingo 25 de setembro às 11 horas) seus famosos tamales à base de milho, mandioca e bananas, recheados com verduras, peixes e carnes, harmonizados com molhos típicos.

Vindos da Guatemala estarão presentes a Fortaleza do Cardamomo de Ixcán, uma das variedades de cardamomo mais apreciadas por dimensão, cor e aroma, e a Fortaleza do Café das terras altas de Huehuetenango, que produz um dos melhores cafés do mundo a uma altitude que vai de 850 a 3700 metros. O planalto de Huehuetenango oferece uma extraordinária variedade de ecossistemas naturais e abriga diversas comunidades indígenas, cada qual conservando culturas e línguas próprias e distintas.

Vindos da Honduras participarão no evento em Turim os produtores da Fortaleza do Café da montanha Camapara. Durante o Fórum de Terra Madre (domingo, 25 de setembro, às 10:30 horas), juntamente com os produtores da Fortaleza do Café de Huehuetenango, falarão da própria experiência de transformação das variedades tradicionais como elemento de contraste à difusão da roya (ferrugem) do café.

Vindos do México nove Fortalezas tomarão parte no evento:

  • Agave do planalto mexicano, ao qual será dedicado durante o Terra Madre Salone del Gusto um encontro da Scuola di Cucina (25 de setembro, às 15 horas): O agave na cozinha.
  • Baunilha de Chinantla, região caracterizada pela presença de diversas variedades de baunilha silvestre.
  • Cacau de Chontalpa, uma das áreas na qual concentra-se a produção de cacau no México, reconhecida como lugar de origem da variedade crioula.
  • Pimenta da serra de Tlaola, cultivada por um grupo de mulheres indígenas Nahua.
  • A Fortaleza recém-constituída das Sementes de abóbora do Yucatan e a Feijões nativos de Tepetlixpa. Ambas as Fortalezas visam preservar a grande variedade genética de abóboras e feijões cultivados com o sistema da milpa (lavouras integradas de milho, feijão, abóbora e dezenas de outros vegetais).
  • A Fortaleza dedicada ao Porco glabro do Yucatan, uma raça criada durante mais de cinco séculos pelos Maya que desenvolveu-se em sistemas de produção isolados e prevalentemente rurais preservando, até os nossos dias, o próprio patrimônio genético.
  • Enfim, duas Fortalezas que protegem duas espécies de abelhas nativas sem ferrão: a Fortaleza do Mel de melípona do Yucatan e a Fortaleza do Mel de abelha nativa da Sierra Norte de Puebla. A primeira delas preserva a abelha Xunankab, que constrói suas colmeias em troncos ocos na floresta, os denominados jobones. A segunda abriga algumas comunidades indígenas que ainda hoje criam abelhas Pisilnekmej nas tradicionais mancuernas, colmeias compostas por dois vasos de terracota vedados com uma massa úmida de cinzas.

Presenciará também a Comunidade mexicana dos produtores e consumidores responsáveis do Chiapas. 

O Peru estará representado em Terra Madre Salone del Gusto por duas Fortalezas: 

  • A Fortaleza da Panela de Tailin, produzida artesanalmente com suco de cana-de-açúcar cultivada em altitudes que superam os 1500 metros, numa pequena comunidade no distrito de Montero, no norte do Peru.
  • A Fortaleza recém-instituída do Tarwi yuraq pequeno, um tipo de tremoço que cresce na cordilheira dos Andes e que desde o período pré-colombiano desempenha um papel saliente na gastronomia local graças a seu alto teor proteico. Adolfo Perret, um dos melhores chef de Lima, irá propor em Terra Madre Salone del Gusto uma degustação de pratos à base de legumes, com o tremoço da Fortaleza Slow Food (Cozinha da Aliança dos Mestres-cucas, domingo 25 às 12 horas).

Participarão do encontro também as comunidades dos cultivadores e beneficiadores de cacau amazônico, dos produtores de café e plantas medicinais de Villarica e a rede dos produtores ecológicos do Peru.

Estarão em Turim vindos do Paraguai a comunidade Ava Guarani da erva-mate do Bosque Atlântico e de Porto Rico os produtores e distribuidores de produtos orgânicos de Porto Rico. 

Algumas Oficinas do Gosto serão dedicadas à descoberta de sabores, segredos e curiosidades da América Latina: 

Enfim, a programação dos Fóruns de Terra Madre e das Oficinas oferecerá alguns espaços para encontros dedicados aos delegados da rede de Slow Food e Terra Madre na América Latina:

Todas as novidades sobre Terra Madre Salone del Gusto 2016 estão on-line no site: http://www.salonedelgusto.com, a partir do qual também é possível solicitar o credenciamento para imprensa (http://www.salonedelgusto.com/en/info-accreditation/).

Para mais informações dirijam-se a:

Slow Food, +39 329 83 212 85, internationalpress@slowfood.it – Twitter: @SlowFoodPress

Região Piemonte, +39 011 432 2549, donatella.actis@regione.piemonte.it

Prefeitura de Turim, +39 011 442 3606, raffaela.gentile@comune.torino.it

A realização de Terra Madre Salone del Gusto é possível graças ao apoio de inúmeras entidades dentre as quais mencionamos os Parceiros Oficiais: Lurisia, Pastificio di Martino, Radeberger Gruppe Italia, Lavazza, Sapori, Iren, Intesa San Paolo, Elpe; com a contribuição de Coldiretti; os patrocinadores da Fondazione Terra Madre e de Slow Food: Compagnia di San Paolo, Fondazione CRT- Cassa di Risparmio di Torino e Associação das Fundações de origem bancária do Piemonte. Com o apoio de IFAD, União Europeia e CIA.

Slow Food é uma organização internacional que compromete-se em fazer com que todos possam conhecer e apreciar os bons alimentos: bons para os que deles se nutrem, para os que os cultivam e para o meio ambiente. Slow Food abarca mais de um milhão de entusiastas, chefs, especialistas, jovens, produtores, pescadores e acadêmicos em 160 Países. Dentre eles, 100.000 sócios pertencentes a 1.500 grupos locais que contribuem ao financiamento da associação através de uma quota de inscrição e que participam dos inúmeros eventos organizados no território. Aos sócios acrescentam-se as 2.400 comunidades do alimento de Terra Madre empenhadas na produção agroalimentar sustentável e de pequena escala.

  • Did you learn something new from this page?
  • yesno