51 Conferências para Terra Madre Salone del Gusto

À ribalta os grandes temas do Slow Food  

Especialistas de fama mundial e delegados, reunidos para falar sobre o futuro dos alimentos e do planeta

O Terra Madre Salone del Gusto é um evento de grande porte político, pois reúne todas as questões de quem se identifica com uma produção alimentar sustentável e acredita na agricultura de pequena escala. Uma manifestação que dá voz ao mundo produtivo que “ama a terra”, trazendo-o de volta para a ribalta.

De 2004 (ano da primeira edição do Terra Madre) a hoje, o Slow Food tornou-se o porta-voz dessas questões, junto de instituições e sociedade civil. Esse papel tornou-se ainda mais evidente com a recente nomeação de Carlo Petrini como Embaixador Especial da FAO na Europa para a Estratégia Fome Zero, mas também com a recente presença do Slow Food nos processos consultivos das políticas europeias (e não só); tudo isso foi possível graças à presença da rede das comunidades do alimento do Terra Madre em 160 países e seus delegados, que, em Turim, irão animar o intenso programa: 11 grandes conferências no Teatro Carignano, e 40 fóruns do Terra Madre no Castello del Valentino e na Torino Esposizioni.

O controle do sistema alimentar, desde a produção das sementes até a produção de fertilizantes e pesticidas, será o cerne do diálogo entre a especialista em políticas alimentares Marion Nestle e o ativista, europarlamentar, José Bové, em um encontro intitulado Eles são gigantes mas nós somos multidão. Ainda no âmbito do sistema alimentar, focalizando-nos porém sobre uma prática agrícola – a agroecologia – capaz de subverter esse sistema, valorizando a diversidade e cuidando dos recursos naturais, promovemos a conferência “A agroecologia pode saciar o mundo?com o encontro entre Miguel Altieri, um dos mais conceituados representantes dessa ciência aplicada ao campo, e Yacouba Savadogo, responsável por devolver à vida uma parte do Sahel graças ao uso de técnicas de cultivo tradicionais. E ainda, os economistas Serge Latouche, Eric Holt-Gimenez e Stefano Zamagni, juntos em “Um novo mundo é possível, melhor dito, necessário” debaterão sobre como o conceito de crescimento infinito num planeta de recursos finitos já não seja sustentável.

Durante três encontros, os diretores de alguns dentre os mais importantes museus da cidade conversarão com artistas de renome internacional e com especialistas: em O planeta terra visto desde o céu e através dos rostos da humanidade” Alberto Barbera do Museu Nacional do Cinema encontrará Yann Arthus-Bertrand, cineasta e fotógrafo, que por 30 anos filmou, desde o céu, o impacto do ser humano sobre a natureza; em A relação com a terra através da arte contemporânea” Carolyn Christov Bakargiev da Galeria de Arte Moderna e Contemporânea conversará com o artista indiano Amar Kanwar e com ele explorará a capacidade da arte de contar as transformações políticas que concernem ao ambiente e à paisagem; em Alimentos e agricultura no Egito, ontem e hoje” Christian Greco nos levará à descoberta de uma das agriculturas mais antigas do mundo enquanto a socióloga e egiptóloga Malak Said Ahmed Rouchdy nos mostrará o papel predominante dos alimentos nas recentes crises desse país.

Alice Waters, Ron Finley e Edie Mukiibi falarão das hortas, como experiências que, quer nas regiões rurais africanas, quer nos terraços e nos pátios dos colégios americanos, estão promovendo uma verdadeira revolução urbana e rural. Quatro chefs de renome internacional – Gastón Acurio, Michel Bras, Olivier Roellinger e Altin Prengafalarão do seu papel de porta-voz de questões culturais, ecológicas, éticas e sociais. Franco Berrino e Andrea Pezzana falarão do impacto que o nosso alimento cotidiano pode ter sobre a nossa saúde, enquanto que o fundador da ONG Emergency, Gino Strada, o desenhista Zerocalcare e Edward Loure Ole Parmelo, vencedor do Goldman Environmental Prize, falarão da relação entre alimento, conflitos e migração. E, por fim, no único evento realizado apenas em italiano, Don Luigi Ciotti e Giancarlo Caselli falarão de alimentos e agromáfias, com incursões teatrais de Tiziana di Masi.

Durante os 40 fóruns do Terra Madre, oportunidades de debate e intercâmbio entre os delegados, e abertos ao público, serão enfrentados outros temas, como o impacto ambiental do crescente consumo de carne, a escassez da agua potável, os efeitos de uma agricultura baseada no sistema das monoculturas (muitas vezes transgênicas), a cadeia do cacau e do café, o universo dos óleos, os queijos de leite cru.

Para maiores informações, entre em contato com:

Slow Food, +39 329 83 212 85, [email protected] – Twitter: @SlowFoodPress

Região Piemonte, +39 011 432 2549, [email protected]

Municipio de Turim, +39 011 442 3606, [email protected]

O evento Terra Madre Salone del Gusto é possível graças ao apoio de inúmeros parceiros. Mencionamos aqui os Parceiros Oficiais: Lurisia, Pastificio di Martino, Radeberger Gruppe Italia, Lavazza, Sapori, Iren, Intesa San Paolo; com a contribuição da Coldiretti; os apoiadores da Fundação Terra Madre e do Slow Food: Compagnia di San Paolo, Fondazione CRT-Cassa di Risparmio di Torino e Associazione delle Fondazioni di origine bancaria del Piemonte. Com o apoio do FIDA, União Europeia e CIA.

O Slow Food é uma organização internacional, que luta para que todos possam conhecer e apreciar um alimento bom: bom para quem se alimenta, para quem cultiva e para o meio ambiente. O Slow Food reúne mais de um milhão de apaixonados, chefs, especialistas, jovens, produtores, pescadores e acadêmicos, em 160 países. Entre eles, 100.000 associados pertencentes a 1.500 grupos locais, os Convivia, que, com suas inscrições, contribuem ao financiamento da associação, e participam de inúmeros eventos organizados localmente. Além dos associados, há as 2400 comunidades do alimento do Terra Madre, empenhadas numa produção agroalimentar sustentável e de pequena escala.

  • Did you learn something new from this page?
  • yesno